Traver

contacte-nos
Ficou alguma dúvida?

Entre em contato, ou se preferir faça uma visita em nosso escritório.

Rua Santo António do Zaire, Lote 36 2680-052 Bairro Angola – Camarate

+351 917 270 398

manoeljunior@traver.pt

Reparação de Fissuras

As fissuras podem aparecer quer numa fase prematura logo após o revestimento das fachadas, que é a situação mais frequente, quer muito mais tarde, muitos anos apos a conclusão do edifício. As fissuras do reboco podem ser agrupadas em: Fissuras superficiais (Imagem esquerda) Fissuras profundas ou rachas (Imagem direita)
Fissuras Superficiais

As fissuras superficiais não ultrapassam a espessura da camada única ou das múltiplas camadas de reboco. Em geral não seguem uma direção especifica. Podem aparecer em qualquer direção e dão frequentemente origem a linhas de fissuração fechadas, parecendo células ampliadas, de grandes e de pequenas dimensões.
As fissuras superficiais são geralmente consequentes de uma deficiente aplicação dos revestimentos.
O uso de argamassas de composição ou amassadura inadequadas dá origem a fissuras como as que se mostram na figura 3.
A aplicação de argamassas sobre superfícies muito secas ou quentes provoca um endurecimento muito rápido e a consequente retração laminar, mostrada na figura 4.
A aplicação de rebocos sobre superfícies sujas com qualquer espécie de fungos, poeiras, ou sob decomposição química ativa, dá origem a um tipo de fissuração seguida de destacamento, conforme se mostra na imagem 5.

Fissuras Profundas

As fissuras profundas penetram mais fundo nas paredes, ultrapassando os revestimentos e atravessando também os elementos de suporte da parede, tijolos, blocos de pedra, ligante hidráulico e betão armado.
As fissuras profundas também diferem das outras pela sua direção especifica e pela sua localização em pontos específicos da arquitetura dos edifícios.
As fissuras profundas são geralmente consequentes de movimentos estruturais, a maioria para baixo, nas fundações da fachada.
As fissuras profundas e as fissuras superficiais podem ter a mesma aparência se não forem coincidentes com a superfície da parede tosca e com o revestimento. Isto acontece quando a parede se separa do seu revestimento, conforme se mostra nas imagens 9 e 10.

Exame

O método para se examinarem as condições de um estuque / reboco fissurado é pela percussão da sua superfície com um pau ou com o cabo de um martelo:
Um som claro e aberto indica adesão do reboco ao suporte. Um som oco e profundo indica destacamento do suporte.

Reparações de rebocos novos

Se as seguintes condições ocorrerem num reboco novo, será́ suficiente preencher-se a fissura com uma massa fina do ligante usado nesse reboco:
A área afetada é limitada;
As fissuras são pequenas;
A estabilidade dimensional foi verificada;
Vai ser aplicada uma camada de acabamento, caiação ou pintura.
Se a área afetada for ampla ou se as fissuras ultrapassarem os 2 mm, o reboco novo deve ser demolido e aplicada uma nova camada, com composição e amassadura apropriadas, e execução correta.

× Como posso te ajudar?